sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

O amor é doação


        

        Assim eu entendo o amor em plenitude! Ele faz com que a felicidade de um seja refletida nos olhos do outro; ensina a trocar confidências; dividir preocupações, sonhos e alegrias; mostra que é possível superar juntos, dificuldades, erros e limitações... e faz entender que, como seres humanos, somos imperfeitos e erramos, e magoamos, muitas vezes, a quem mais queremos bem!

       Acredito que Amar em plenitude, é sim, ter a humildade e a grandeza de pedir perdão e que é possível sempre sermos pessoas melhores.

        É verdade que um amor assim, infelizmente é incomum. É difícil de ser concretizado, porque, na maioria das vezes, os dois não olham na mesma direção... Entretanto, não é impossível, não é utopia! Quando vi, na igreja, um casal celebrando os seus 63 anos de casamento, fiquei emocionada ao vê-los renovarem os votos que fizeram diante de Deus há 63 anos! Lá estavam celebrando com eles, quatro gerações de uma linda família que construíram.

        Ora nesses 63 anos... Uma vida!... Com certeza houve momentos difíceis, em que teriam precisado MÚTUA compreensão, respeito, tolerância, renúncias, desapego do “Eu”.Tudo isso somado = amor!

       Graças a Deus, há muitos outros exemplos assim, de pessoas que se escolhem para formar uma família e optam por ser felizes... Porém, ser feliz não significa ausência de cruz, mas esta se torna leve, quando ambos olham na mesma direção, buscando a luz do Amor Maior.

       Quando o essencial é esquecido, o amor enfraquece; e aos poucos vai sendo sufocado, e finalmente, substituído pelo egoísmo, pelo sentimento de posse, pela intolerância...

      Quando o essencial é esquecido, o amor é facilmente confundido com a paixão, que é cega e avassaladora como uma tempestade, mas vai embora, deixando rastros de destruição. O amor é como o sol, que volta a brilhar mais forte, depois que passam as nuvens escuras; é como o orvalho das manhãs, que se renova a cada dia, umedecendo a terra, para que as flores não percam a sua beleza; nem os frutos, o seu sabor.

       O amor, na sua plenitude, não é sentimento; é doação, porque nos foi doado por Deus.

      (Embora eu haja discorrido especificamente sobre aqueles que se escolhem para formar uma família, creio que este amor em plenitude, nos foi “doado” por Deus, para que sejamos capazes de ver os nossos semelhantes, assim como Ele os vê!)

Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas, vos serão dadas por acréscimo! Lc. 12,31


Zulma de Bem
Imagem: Fé com virtudes & Doutrina católica


sábado, 10 de dezembro de 2016

Os Natais de outrora



Em uma grande área arborizada que meus avós tinham, havia diversas trilhas, e nós a chamávamos de mato e era ali o nosso reino encantado e próximo a ele, tinha até uma cabana onde morava um velho maltrapilho e cabeludo, que nos enchia de medo, mas ao mesmo tempo, fazia subir a nossa adrenalina.

Brincávamos muito em seu interior e conhecíamos cada recanto seu e fomos alertados que havia uma parte do terreno que não deveríamos pisar, pois era de areia movediça. Tinha lá muitas goiabeiras, pés de araçá, moranguinhos silvestres e outras.

Neste paraíso da terra, quando chegava a véspera do Natal íamos fazer um piquenique. Levávamos galinha com farofa, limonada, doces e outras comilanças que nos preparavam e lá permanecíamos até o entardecer.

O nós que eu falo, eram os primos e a gurizada da vizinhança. Ao entardecer, voltávamos para casa e nos deslumbrávamos, pois o “Papai Noel“ havia decorado os “pinheiros“. Por muito tempo, acreditamos que era assim mesmo, até que os mais expertos nos tiraram esta ilusão.

À noite, com os pais, íamos pela vizinhança, e em vez de peru e champanhe, comíamos doces pintados e refresco de framboesa.

Na manhã do dia seguinte, acordávamos com os presentes ao redor do pinheiro, que, por sinal, eram poucos e íamos para a missa.

Contudo, com poucos presentes e sem as ceias requintadas de agora, sinto saudades dos Natais de Outrora.

Terezinha Brandenburger
Imagem: Simbolos



sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Forever



Tudo assim diferente, pessoas, gente...
Parece que algo mudou
Algo se reflete no semblante.
Lágrimas, sorrisos, abraços...
Até aqueles um pouco distantes.
São coisas do menino... me parece que é divino.
Árvores enfeitadas, guirlandas,
Luzes que acendem apagam,
Bolas, presentes correntes
Fazem tudo ficar diferente.
Aliás, eis que chega o Natal
Nada pode ser como ontem.

Natal muda todos, ontem, hoje... sempre!

Máyra S. L. 
Imagem: Big 1 News

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Vida dolorida




Saber de um sentimento
E não fazer nada,
É uma luta, um luto...
Coração magoado.

Não ter certezas nem das ações,
Caminhos cortados,
Atirados de lado
Entregues ao acaso.

Dor tão profunda...
Angustia sem par,
Sem tempo para viver.

Luana Jenifer
Imagem: frases, mensagens e poesias



domingo, 6 de novembro de 2016

O mais doce dos sorrisos

Video com texto de Celso Ferruda, interpretação: Pedro Potiguara Benites, imagens ilustrativas:  Google.




terça-feira, 1 de novembro de 2016

Saudade




Eu vejo gente morta
Sem brilho na alma
As cores cada vez mais fracas
Pela tela do celular a tristeza é mostrada

 Nunca mais verei seus olhos
Para me sentir aliviada
 Os prazeres da vida
Se tornam banais

Será que ele está feliz?
Onde foi parar?
Aquele homem cheio de amores
Me deixa aqui
A pensar

A morte é
Uma incógnita para desvendar
Meu amor por ele pode acabar?
 Outra alma há de me completar

Espero que estejas bem
Viverás em meu coração
E minha alma um dia
Deverá te encontrar
E no céu cheio de estrelas
Poderemos dançar


Mariana Maciel de Araujo

(Alvales Jovem)
Imagem: Mensagens-Cultura Mix 

sábado, 22 de outubro de 2016

Nas asas da poesia





Minha alma quer voar nas asas da poesia;

Quer ouvir música na voz do vento...

No  sorriso das crianças, encontrar alento,

Pra ter esperança de melhores dias!



Quer ver a sabedoria iluminando a ciência,

Com uma experiência que transforme o mundo,

Pra receber a paz, como um solo fecundo,

Pela semente do amor, brotada da consciência!



Minha alma quer voar nas asas da poesia...

E, somente ao voltar para a terra, a alegria,

Poderá repousar, na beleza de um “sol-por”...



Pousar, por fim, na aurora de um novo dia,

Tendo a fé e a certeza de que a sabedoria,

Conseguiu ainda em tempo, reinventar o amor!




Zulma de Bem


domingo, 9 de outubro de 2016

Travessuras



Não lembro de muitas, pois acho que fui das bem comportadas. Porém esta que vou contar, acontecia quase que diariamente. Colher frutas verdes no quintal dos meus avós tornou-se um vício do qual não consegui livrar-me.

Ele era enorme e comunicava-se pelos fundos com a nossa casa. Quando as frutas começavam a amarelar, aí é que a tentação era mais forte. A hora. era após o almoço, quando minha avó estava sesteando.Lá ia eu, à cata das primeiras bergamotas, que eram as minhas preferidas mesmo com o “perfume” que elas exalam. Às vezes, minha avó interrompia a sua soneca, para pegar-me em flagrante e lá vinham as queixas para meu pai, mas mesmo assim, eu não desistia. 
           
E ainda hoje não me arrependo desta travessura, pois adoro comer frutas e naquela época, comer o que era proibido, tinha um sabor todo especial.


                                 Terezinha Brandenburger

sábado, 1 de outubro de 2016

Primavera




Primorosas flores iluminadas pelos
Raios de sol primaveril
Ilhas coloridas no cinza da cidade
Mistura de cores, de formas
Alegram os dias antes do
Verão chegar
Enquanto as cores
Reinarem no mundo
A beleza da natureza é certa

Luana Jenifer
Imagem: folhadacidade.inf.br

sábado, 17 de setembro de 2016

Tradição Gaúcha




Esta Terra Gaúcha, na sua tradição,
Cultiva princípios e valores imutáveis,
Que tem raízes bem profundas neste chão;
Os quais, nossos poetas incansáveis,
Cantam com beleza; com alma e coração!

Pra um gaúcho de verdade, o que é mais sagrado,
É a honra, é a família, é a fé no “Patrão Maior”;
É o respeito aos mais velhos, que trazem do passado
A sabedoria das vivências e o que nos legaram
Pelo trabalho... em cada gota de suor!

Na nossa tradição, a mulher é “prenda”;
Uma joia, uma relíquia, um presente...
Mas não faltam “malevas” que pretendam,
Introduzir conceitos e modismos diferentes;
Bem ao contrário dos valores que cultuamos!
Mas,quem é “taura”, seus princípios, não desmente!

Não confunde macheza, com ser “machista”;
O gaúcho é leal, hospitaleiro, amigo...
Prenda gaúcha é feminina; nunca, “feminista”!
Porém, pra defender a cria ou o companheiro,
“Peleia” e não dobra a esquina quando vê o perigo!

É o resultado das heranças ancestrais;
Mulher gaúcha é feminina, porém, forte;
Isso a História nos conta em seus anais.
Nossas raízes são profundas neste chão;
Defenderemos no Rio Grande, até a morte,
Nossos valores e a nossa Tradição!

Zulma de Bem

Imagem: falams.com

sábado, 10 de setembro de 2016

Diversidade





Tudo encaixa perfeitamente.
A noite quando encontra o dia, a areia e o mar.
Tudo em perfeita harmonia
O homem para completar.
Porque, então, criar animosidade,
Com cor, credo ou idade?
Nós somos a diversidade.


 Renate Gigel

sábado, 3 de setembro de 2016

Flores do Campo





São Lucas já dizia: ”Olhai como crescem as açucenas,
Elas não trabalham nem fiam, contudo,
Nem Salomão, em toda sua glória,
Jamais conseguiu vestir-se como uma delas”.

E estas pequenas flores, quando a primavera chega,
E a geada se vai, cobrem campos planícies e campinas
E contemplá-las, nos proporciona
Uma profunda sensação de paz.

E nos lugares onde a neve se esvai,
Elas são raras e até preservadas,
Arrancá-las não é permitido.

Que bom vivermos num país como o nosso,
Onde podemos ir ao campo,
Colhê-las, e até fazer um ramalhete,
Sem que a natureza seja danificada!



Terezinha Brandenburger

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Café da manhã




Cheiroso ,gostoso ,a se esparramar.
Passa ,envolvente , a sussurrar:
- "Desperta, alerta e vem me pegar!"
Sorver puro aroma,
Delícia contida, frisson ou torpor.
Café da manhã até  pode ser
Declaração de amor!

Renate Gigel

domingo, 14 de agosto de 2016

Rua fragmentada



A rua fragmentou-se
Como um quebra cabeça
Ninguém reúne as peças
Cada casa contava uma
História
Hoje não conta mais
Apenas temos alguns
Nomes na memória
E imagens...
Imagens lindas...
Intensas...
As festas, as crenças...
Quanta reza! quanta presença!...
Agora um silêncio esconde
Tudo...ficamos mudos...





Eloísa S. Moura
Imagem:doceclausura.blogspot.com

sábado, 6 de agosto de 2016

O que é o ideal?



Passamos a vida a sonhar com o ideal...
Mas, o que idealizamos, vive só na nossa mente;
Não aceitamos o que está à nossa frente,
Limitado, imperfeito... mas real!

Ideal não há, nem homem, nem mulher;
Não há família, pais ou filhos ideais...
Apenas pessoas; seres humanos reais,
Querendo ser compreendidos... Quem não quer?

Apesar de diferenças... divergências...
Quanto mais somos imperfeitos, limitados,
Muito mais o Amor Real nos quer amados,
Porque só ele revela a nossa essência!

Somente o amor pode mudar a realidade,
Curar feridas, curar mágoas com perdão,
Trazer a paz, transformar um coração...
Luz que ilumina a real felicidade!

Zulma de Bem
Imagem: www.flogao.com.br


domingo, 31 de julho de 2016

YES! I`m grandma




SIM,sou vó!!!
Igual a você,ou quem mais? quem?!
Nem sei bem...
Sou vó,destas que choram, sorriem,
Se angustiam, brincam, amam, abraçam...
Na telinha do bebê.
Assim distante, tenho vontade de sair gritando,
Abraçar bem forte, este que é neto, querido descendente...
Mas está lá onde minhas mãos nem chegam, nem o apertam
Apenas sorriem,dizendo: - HOW are you...vovós
- Como você está, meu bem?
 - Estou feliz, vó, veja meu “dainossaurs”
Aquele da camiseta, do imaginário que vive neste anjo que é você, doce bem.
Minha homenagem sincera é para você,  amorzinho.
Que veio ao mundo para dar uma chance ao amor trancado,
Aquele que estava guardado pelos afazeres de uma mãe...
Amorzinho, netinho querido ,abençoado
Você  é um anjo, meu bem,
Destes que vêm sem pressa ,ninguém se dá conta,
Mas você é a imensidão do céu neste vai e vem.
Netinho amado, primeiro de todos ,você é  nosso refém
Dos beijos, abraços, afagos tudo que  queremos dar
A você  primeiro...e aos outros que logo  vêm.
Você,  docinho querido, é o sonho das vós que sonham
Amam, suspiram em querer ser felizes, também.
Loirinho, amado por todos, você veio para mostrar ao povo
Que anjos descem do céu, sem asas, pois isto nem convém.
Neste dia das vós, quero lhe agradecer por ser todos os dias
Os meus dias mais felizes desde quando o abracei.
 Isso nos  faz bem!
Assim distante, assim bem próximo do nosso coração,
Penso que precisamos lhe agradecer, porém...
Jamais esqueça na vida que você é um dos tesouros,
Muitos virão depois...
Amados, abraçados, mas sempre depois de você.
Quer saber?
Nosso dia só existe por sua causa, neném!
Your Love you!

MSLMaymay
(fala agradecida aos netos que nos permitem ser vós.)
Imagem: www.justrealmoms.com.br

domingo, 24 de julho de 2016

A valsa das flores



Em meio aos suaves acordes desta valsa,
Bailávamos extasiadas e leves como a brisa,
No ritmado compasso um, dois, três.

Nosso corpo rodopiava e acompanhava,
O balanço da organza e do cetim
Dos nossos vestidos cor de esmeralda
E parecíamos flutuar, ao redor do palco.

E aqueles momentos mágicos,
Que esta eterna valsa nos proporcionou,
Serão para sempre guardados na lembrança.


Terezinha Brandenburger
https://www.youtube.com/watch?v=lFxQztPf5_I

domingo, 17 de julho de 2016

Folhas e Mar




 
O som do vento nas folhas
O vento ondulando o mar
O som mais intenso nas copas
das árvores...
O som retumbante das
ondas do mar...
Foi hoje? Foi ontem?
Não sei...
Mas sei que recordei
recordei...

Eloisa S. Moura
Imagem:restauranteumai.blogspot.com