sábado, 26 de maio de 2018

Luz-da-lua (Branca de Neve invertida)




Luz-da-lua nasceu linda. Pretinha, rosto redondo, cabelos negros, olhos cor-de-ameixa preta, boca em forma de coração era a alegria dos pais. O choro parecia uma canção. Amaram-na. Festejaram a sua vinda.
Luz-da-lua cresceu cercada de carinhos. Aos sete anos, porém, seu pai morreu. Aos oito, a mãe casou-se novamente. Trabalhava muito. O padastro não trabalhava. Em casa, fumava, bebia, olhava num espelho e dizia a si mesmo:"Espelho, espelho meu, existe alguém mais atraente que eu?" 
Uma noite em que a mãe estava no trabalho, o padrasto achegou-se à menina, acarinhou-a, deu-lhe beijos.  Luz-da-lua não gostou, assustou-se e fugiu.  Vagou na noite para bem longe, com medo de o padrasto encontrá-la. Pela manhã, viu um bando de meninos bem pequenos num grande pátio. Jogavam bola. Chegou até uma cerca e ficou a observá-los. Os menininhos viram-na. Um deles aproximou-se: "Oi, menina, está com fome?" "Não, estou com medo.""Medo do quê?" "Medo do meu padastro. Fugi de casa e temo que ele me encontre." "Entra! Vem! Aqui ele não te encontra". E abriu o portão. "Até que o monsenhor chegue, vais ficar conosco." Os menininhos foram muito gentis. Jogaram com ela. A bola corria de um a outro lado. Luz-da-lua sentia-se feliz.
Quando o monsenhor chegou, os meninos contaram-lhe o que acontecera com Luz-da-lua. O senhor saiu. Pegou um telefone. Depois de algum tempo, o padrasto apareceu. Luz-da-lua ficou apavorada. O monsenhor disse que só entregaria a menina à mãe. O padrasto saiu a toda com seu automóvel. Encontrou-se com um caminhão. O acidente mandou-o para o céu..
Luz-da-lua voltou para sua mãe e sempre curtiu a amizade dos menininhos. 

Liti Belinha Rheinheimer
Imagem: Raiz do samba - WoordPress.com 

sábado, 19 de maio de 2018

Alados





Os pensamentos voam,
Mesmo que não lhes tenha dado asas,
Fazem rasantes em perguntas não respondidas,
Furam névoas cinzentas de emoções não correspondidas.

Suas asas, num bater intenso e fugaz,
Volteiam, circulam, procuram por paz.

Quanto mais densas e turvas as nuvens e causticante o vento,
Mais batem e se debatem as asas do pensamento.

Parece que a prece, a luz que fenece,
O intenso, o forte, o imenso,
Encolhe-se, recolhe, vira fumaça ou incenso.
Mas não crê que possa acabar o amor
Ou como pensamento, bater asas e ir embora.
Pensamento tem asas, voa e chora...
Renate Gigel
Imagem: ipumirim.sc.gov.br


quarta-feira, 9 de maio de 2018

Mãe…





Mãe amor que arrasa e abrasa

Com teu calor

Abraça meu coração com amor...

Dedica à vida para a minha felicidade!

Faz isto sempre não importa a idade...

Não há palavras para retribuir tanta

Gratuidade!


Eloísa S. Moura
Imagem: Dicas de Mulher

sábado, 28 de abril de 2018

Retratos


     
      
Num cantinho só meu, estou rodeada de retratos e eles conversam comigo, contam-me histórias, fazem com que eu volte ao passado, remexem meu inconsciente, mesclam-se em minha memória. Poucos, falam de minha infância e juventude, outros relembram fatos acontecidos Entre os mais emotivos, estão aqueles que recordam a trajetória de vida das minhas filhas, seus primeiros passos, suas conquistas e acontecimentos que marcaram suas vidas. Estes retratos estão sempre ali, fazem-me companhia, riem e choram comigo, ajudam-me a viver!

Terezinha Brandenburger
Imagem: onlinequadros.com.br


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Escola…




Escola é sonho
Escola é vida
Escola é aprendizado
Escola é uma saída
Escola é ensinar  e aprender
Escola, aprender a viver
Escola, o rosto dos aprendentes
Escola, lição de vida de cada dia!!!


Eloísa S. Moura
Imagem: Canção Nova - Formação

sábado, 24 de março de 2018

Quando a alma não é pequena




Cristo, em “Pessoa”, num poema diz ao mundo:
“Tudo vale a pena, se a alma não é pequena”!
Esta frase de sentido tão profundo,
De inspiração divina à alma do poeta,
Ensina-lhe que as limitações terrenas
Podem ser superadas quando a meta
É conquistar algo tão belo, tão grandioso
Que mereça a coragem de “passar além da dor”,
Lançar-se ao mar desconhecido e tenebroso,
Ou dar a vida, em holocausto, por amor!

Zulma de Bem
Imagem: A mente é maravilhosa

quinta-feira, 8 de março de 2018

Happy womans Day!



Sorridentes, entusiasmadas...empolgantes!
Sempre elas, as mesmas que trouxemos  neste  instante
Somos  guerreiras, embora cansadas, assombradamente resistentes,
Levantando bandeiras, de todas as maneiras, legendas, ou simples  acenos
Costurando colchas retalhos, panos ou tramas,
Plantamos sonhos,mudas, verdadeiros encantos,
Num mundo descrente.
Suamos, cansamos das lágrimas, disfarçando os prantos...
Enterramos os gostos, de todos os dez gostos,
Mas sempre assim, contentes,  abraçadas, enleadas.
Verdadeiramente e incansávelmente enamoradas
Pela vida, filhos, trilhos, enguiços, ou simplesmente
AMIGOS,
Saboreando doces momentos ...
Que nos fazem sermos estas
Eletrizantes happy womans.
MSLMaymay
Imagem: Endeavor